Novas formas para a arte contemporânea

INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 13 DE ABRIL

 

Reforma. Da ideia de que a arte contemporânea confere outra forma à arte, o filósofo e crítico de arte Arthur Danto construiu Após o Fim da Arte: Arte Contemporânea e os Limites da História (Edusp, 2006). Polêmica e ao mesmo tempo referencial, a obra sugere os novos contornos de uma prática que se deseja cada vez mais abrangente. Seguindo o mesmo conceito, a Hiato – Ambiente de Arte relaciona o verso da poetisa mineira Adélia Prado – “ Eu sempre sonho que uma coisa gera, nunca nada está morto”, do poema Leitura – a fim de lançar um desafio aos jovens artistas juiz-foranos. Em sua terceira edição, o edital Carne Fresca/12, aberto hoje, dia 6 de fevereiro, reflete sobre o momento atual para comemorar os dez anos da galeria.

Lançado em 2010, o edital insere-se, por definitivo, no calendário das artes visuais da cidade. No último ano, o Carne Fresca recebeu 34 inscrições, o que representou um grande desafio à banca examinadora – formada pela professora do Instituto de Artes e Design da UFJF Rosane Preciosa, e os artistas plásticos Ramon Brandão e Petrillo – que selecionaram doze nomes para a mostra. Da fotografia à pintura, passando por projeto digital, escultura e instalação, o edital reuniu trabalhos que refletiram sobre os limites do novo na arte contemporânea.
 
Poesia e discussão
Abertas às mais diversas pesquisas contemporâneas, a galeria irá selecionar dez jovens artistas locais, maiores de 18 anos, iniciantes ou profissionais, cuja produção tenha, no máximo, sete anos. As inscrições poderão ser feitas na galeria ou via correios, até o dia 31 de março. Sob a curadoria de uma comissão formada pela galeria, composta por nomes representativos das artes visuais em Juiz de Fora, a exposição ocorrerá entre os dias 11 e 26 de maio, abrindo a agenda comemorativa dos dez anos da galeria. “Sempre nos envolvemos com a formação e divulgação de trabalhos de jovens artistas. A exposição desse ano servirá, também, para revisarmos essa produção e confirmarmos essa preocupação”, aponta Petrillo, coordenador da Hiato.
A escolha pela poesia de Adélia Prado revela o norte das reflexões do projeto, que ao se desejar amplo recorre às raízes regionais. De acordo com Petrillo, além de selecionar trabalhos consistentes, o Carne Fresca/12 busca contemplar a sensibilidade dos jovens artistas. Reunindo termos distintos, como sonho e morte, Adélia dialoga com Danto, que vislumbra um terreno “após o fim”. Apesar dos diferentes contextos, quando aglutinados numa mesma compreensão, ambos desenham, com perfeição, o espaço contemporâneo, desafiador aos jovens.
 
Leia o edital